Você aí, é você mesmo. Por que não está lendo Bakuman?

Como poucos muitos que leem o blog devem ter deduzido, eu devo já ter lido Bakuman. Talvez eu até goste um pouco. Talvez eu até preencha todos os cantos de blog com fotos sobre a série (talvez essa piada se perca quando eu mudar o visual do blog, mas enquanto isso, vocês que entenderam podem achar a piada sem graça e continuar lendo). Mas focando no título… estou me perguntando porque você, pessoa alfabetizada que possui um computador e coordenação motora para baixar um mangá pela internet, desviando de todas as propagandas e links falsos, ainda não leu o mangá mais incrível, que você deveria estar lendo!? Porque afinal, se eu posso estar fugindo de um trabalho de fim de semestre da faculdade pra vir escrever esse post, você pode muito bem faltar o vestibular pra aproveitar melhor o tempo e ler essa obra incrível, certo?

fd9c33e8582b41d4f9f9088fe30a5cb5 (1)

Bem, Bakuman, para os alienígenas que não sabem, é o segundo fruto (sendo o primeiro o famoso e aclamado pela otakaiada, Death Note) da dupla Ashirogi Muto Tsugumi Ohba (Pseudônimo) e Takeshi Obata, publicado na Shonen Jump e concluído esse ano (2012) com 20 volumes lançados pela JBC (infelizmente antes da mega repaginada da editora  -.-), teve ainda uma adaptação em anime com 3 temporadas que abordam todo o mangá, sem fillers ou final inventado (eu assisti apenas a primeira temporada, já que sempre  acompanhei pelo mangá, não vi nenhum problema na versão animada apesar de preferir bem mais o mangá, mas isso é assunto de um outro post, então leiam ou assistam). Com um fim que dividiu opiniões (e que me deixou órfão de um dos meus mangás favoritos), mas pelo que vi na internet as pessoas no geral não gostaram muito, o que não diminui em nada o valor dessa incrível obra, ao menos pra mim.

Bakuman conta a história de dois garotos que, ainda no que seria o ensino médio no Brasil, decidem fazer mangás juntos e conquistar o topo da mais famosa antologia de mangás do mundo, a Shonen Jump! Nesse percurso eles encontrarão vários personagens memoráveis, que te farão chorar de rir, ou de emoção mesmo, cheio de cenas marcantes e que te farão ter muita vontade de sair desenhando e ganhar a vida criando quadrinhos de “trás pra frente”.

22255

Bem, Bakuman me conquistou de uma forma que poucos conseguiram, e muito desse apego a obra se deve por eu ser exatamente o público alvo da mesma – garoto adolescente que é apaixonado por mangás/animes e que sonha ou já sonhou em viver disso – e por ter me identificado com um dos personagens principais de uma forma que nunca havia acontecido, e nem aconteceu, até hoje, o que provavelmente deve ter acontecido com milhares de outros garotos(as), já que o Saiko/Mashiro/Moritaka, o que você preferir, tem tudo o que vários garotos de 15 anos do mundo real tem, desde os problemas relacionados a vestibular, cabelo, o que fazer da vida, seguir o sonho ou conseguir um emprego estável, qual garota devo pedir em casamento aleatoriamente quando o leitor menos esperar (pequeno spoiler, mas é tão pequeno que vale a piada :)).

ofLendo Bakuman você aprenderá sobre como o sistema de seleção de obras da Jump funciona, saberá como os japoneses fazem pra entrar na empresa, entenderá mais sobre os diversos festivais para novatos, e também aprenderá como uma relação entre amigos pode ser forte, a ponto de levar os dois a uma enorme luta para alcançar seus sonhos, algo que nunca teriam conseguido sozinhos, se inspirará a seguir seus sonhos, e terá até uma pequena paranoia quando estiver atoa olhando para o teto sem fazer nada em um domingo a tarde e ficar pensando que o Saiko estaria a 3 semanas sem dormir desenhando 100 páginas de todos os mangás do estúdio de seu tio. Ou sou só eu que fiquei assim?

Bem, Bakuman é uma obra muito especial pra mim e sei que pra diversas outras pessoas, Obah e Obata abordam nela vários temas super interessantes, tanto da vida dos mangakás quantos da vida dos humanos. São vários os problemas abordados, desde amizade, amor, traição, esforço, força de vontade, sonhos, e até algumas críticas ao próprio sistema da Jump. É uma saga de dois garotos que não querem seguir o que a maioria os diz que tem que fazer, que tem um sonho e que por mais que tenham medo do que está por vir se jogam atrás dele, abandonando aos poucos toda a segurança que tinham para poder mergulhar de cabeça no que mais querem, e sejamos sincero, como não se identificar com isso, se não fizemos isso pelo menos já tivemos vontade, e na minha opinião acho que é o que todos deveriam fazer, seguir o que querem ser, fazer o que mais lhe deixa feliz, porque no fim tudo o que importa vai ser o que você está sentindo, se você está feliz, se a vida valeu a pena. E nem me venha com esse papo de morrer de fome sendo um pintor, um diretor de cinema, um músico, é só o medo falando, leia Bakuman, e se deixe levar, tente absorver aquilo e pense.

BAKUMAN_wallpaper_Saiko_Akito_by_IwantPissInYourBed

Acho que talvez tenha ficado um texto muito sentimental, ou até pessoal de mais, talvez meu lado fanboy tenha falado mais alto, mas acho que passei a ideia que quis passar. Que é: levante essa bunda gorda agora da sua cadeira com rodinhas, vá até a banca mais próxima e compre o mangá que foi lançado pela JBC! Mas como a publicação já está no volume 16 sente de novo e compre o mangá nas diversas lojas online disponíveis, deixarei alguns links no fim do post de sites que vendem toda a coleção, para que assim ninguém tenha desculpas pra não estar lendo, em vez de estudar pra qualquer provinha seletiva nacional desnecessária.

Mais uma coisa, não achem que sonhar é o suficiente, enquanto você não levantar da cadeira e fazer alguma coisa seu sonho não vai sair da cabeça. E não se esqueçam do esforço, da arrogância e, é claro, da sorte.

Comix Book Shop: http://www.comix.com.br/advanced_search_result.php?keywords=bakuman&x=0&y=0

Liha HQ!: http://www.ligahq.com.br/secoes.php?secao=99&pesquisa=1

PS: Esse texto tinha como objetivo apenas tentar passar o que você pode esperar ao ler Bakuman, não tendo nenhum teor revolucionário reivindicando o fim dos vestibulares ou algo do tipo, e exatamente por ser um convite à leitura do mangá evitei comentar as várias cenas emocionantes que apenas citei durante o texto, para não trazer nenhum spoiler, e por não ser o objetivo do post. Ou seja, se quiserem saber quais são esses momentos épicos, quais os temas abordados do mundo dos mangakás, quais as críticas à Shonen Jump, qual a velocidade de um Hamster correndo em sua rodinha de brinquedo (no vácuo), só lendo Bakuman para descobrir (nem preciso comentar nada quanto ao exemplo do Hamster né?)

bakuman-01-large-10Crow___Bakuman_by_FEE_MUH

Anúncios

2 respostas em “Você aí, é você mesmo. Por que não está lendo Bakuman?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s